De pé, com um olho nas outras e o outro na rua para ver se lá vinha o autocarro, contava-lhes como tinha sido quando tinha ido ao tribunal por causa do marido lhe bater. Já lhe batia há muito tempo, mas não era para a matar! Não, isso, ele, não! Só às vezes é que ela ficava a precisar duns curativos e ia ali ao São Francisco ou ao Centro de Saúde.

Até tinha dito à senhora juíza que se ele quisesse, ele tinha a força de vontade para perder aquele hábito, porque ele há 10 anos disse que ia deixar de fumar e nunca mais pegou num cigarro. Foi burra porque até parecia que o estava a defender!

Se não se divorciava? Ah, não tem dinheiro para isso, só um dos papéis que é preciso assinar custa 500 euros, fora o resto!

O pai também costumava bater na mãe, quando estava bêbado! Ela às vezes tentava impedir e punha-se à frente da mãe… olha, levavam as duas! Mas o marido não bebe: uma, duas cervejas, não pega em mais.

Tinha-se casado com ele porque tinha engravidado. E já não era nenhuma criança, teve o filho com 30, mas caiu na asneira. Quando lhe disse, foram casar-se. À porta do registo civil ele não queria entrar, mas ela também chegou para ele, disse-lhe que ou se casavam ou não havia de ser a primeira que era deixada com um filho nos braços. Ora toma!

Agora herdou a casita lá da terra, mais uns terrenos… Se calhar vai vendê-los. Porque não fica com a casa lá da terra e vai viver para lá? Ai, isso não, que disparate! Ela e o marido compraram há uns anos o andar por baixo do deles, assim podiam ter um quarto para cada filho. Agora ela pode mudar-se lá para baixo, e pronto, ficam separados…

Anúncios

7 thoughts on “

  1. Belinha, nem imaginas o quanto A-DO-REI este post. Fantástico. Rir até cair para o lado :D
    Ai ai… ao menos animaste-me a noite! ;)

  2. Querida Raquel, se te riste, então estou muuuuuito contente porque consegui expressar o que queria! :) Estou super orgulhosa por esse elogio!
    Infelizmente o tema é que não tem graça, e há mais vítimas dele do que podemos supor.
    Tens uma mensagem minha. ;)

  3. Imagem mental que criei: lá ias tu apanhar o teu querido bintóito e deparaste-te com duas senhoras daquela comunidade de casamentos de 3 dias a conversar na melhor altura. *Like*

  4. Jules, um elogio desses vindo de ti, que escreves divinalmente… estou inchadíssima de orgulho! :D
    Obrigada, e sinceramente espero ter inspiração para um pouco mais. :)

Os comentários estão fechados.