Momentos incómodos

Quando saí do metro, um vento frio desalinhou-me o cabelo, já de si meio despenteado. Ao entrar no elevador vazio, única forma de entrar no trabalho já que a recepção é no piso 3 e não há escadas, olho de relance para o espelho e vejo como estou pouco apresentável. Enquanto mais gente entra o elevador até o encher – há sempre fila para entrar nos elevadores às 9 da manhã – passo a mão pelo cabelo para o pentear com os dedos. Qual não é o meu espanto quando sinto qualquer coisa entre os dedos que prontamente largo e cai no chão. Era uma vespa! Fiquei com uma sensação de nojo nos dedos que vai demorar a passar…

2 thoughts on “Momentos incómodos

Os comentários estão fechados.